Terça-feira, 29 de Novembro de 2011

Ver para crer




É só para lembrar os (lampiões) mais esquecidos. Vejam bem as fotos. A da esquerda é a do momento. Malandros dos lagartos!
Mas... espera aí! A da direita... O quê? A claque lampiã já tinha feito o mesmo em Alvalade? Não pode ser! Nunca tinha ouvido falar nisto! Muito menos visto. Portanto, o que não se vê, nem se ouve, nunca existiu, não é verdade?
O quê? Ah, mesmo admitindo que a foto é verdadeira, e não uma montagem, vê-se bem que arderam menos cadeiras em Alvalade do que na Luz? Eh pá, para quem não sabia disto, agora já consegue ver que são menos... Isto é o que se chama imparcialidade... Portanto, é uma questão de número de cadeiras? A ti o que te falta é uma... pelos ditos abaixo, faccioso do caraças.
Solução: acabar com as claques! Certo? ERRADO! Em democracia não se atiram minorias para a clandestinidade, disso já tivemos no tempo da outra senhora. Aqui o que há a fazer são essencialmente duas coisas:
1- Os clubes (todos) podem (e provavelmente devem) deixar de apoiar estes grupos.
2- As nossas tristes, corruptas e incompetentes autoridades devem actuar. Porque havia muitas câmaras na luz, de certeza que é possível identificar os incendiários. Porque muitos dos líderes destas claques são sobejamente conhecidos como bandidos, ladrões e traficantes, há que prendê-los. São casos de polícia. Quanto aos outros, experimentem tratá-los como gente civilizada e provavelmente ficarão agradavelmente surpreendidos com o resultado. É simples: os malandros prendem-se; os outros tratam-se civilizadamente.
Por exemplo, não se põem cinco pessoas a revistar mais de três mil adeptos que pagaram os respectivos bilhetes, forçando-os a entrar no estádio cinco minutos antes do intervalo. Isto é mesmo só para chatear. Porque se fosse para os revistar como deve ser nunca entravam very lights nos estádios, nem bolas de golfe, nem sequer isqueiros. Também não se mentia às pessoas, dizendo que havia lugares disponíveis na "gaiola" ou "jaula", ou lá o que era aquela cena com rede que prejudicava muito a visibilidade. Senão, vejamos:
"1- Havia 3 a 4 filas vazias, as mais próximas junto à rede, não porque não houvessem adeptos sportinguistas para as encher, mas porque o dispositivo policial e os stewards formaram ali um cordão de segurança e não permitiram que os mesmos as utilizassem.
2- O nº de cadeiras naquele sector era inferior ao nº de bilhetes vendidos (3425), isso era óbvio ao 1º olhar, não era preciso ser-se um cientista para se lá chegar, havia de facto pessoas nas coxias, nas bocas de acesso e a dividirem cadeiras.
3- Abrir uma porta, com cinco filas, com um vigilante por fila, para revistar, um a um, 3425 sportinguistas, num período de 75 minutos é sintomático de uma de duas coisas...premeditação óbvia para retardar a nossa entrada no recinto, ou incompetência grosseira para a gestão e controle de acessos a eventos desportivos.
4- A falta de condições era notória, só uma casa de banho aberta e um bar com um balcão de 3 metros de largura, todos os outros espaços iguais estavam fechados, isto tudo para 3425 pessoas, seriam até mais que isso, pessoas essas que pagaram 22€, e que merecem respeito, nem que seja como consumidores pagantes.
5- Muitos elementos da Polícia de Intervenção e do SIR, disseram, em alto e bom som, que eram as ordens do Benfica, e que nada podiam fazer, em virtude de ser o proprietário do espaço a decidir como se processam as entradas."

http://scpmovimentoleonino1906.blogspot.com/2011/11/joao-gabriel-o-pinoquio-emborrachado.html


Os adeptos do Sporting não esfaquearam nem mataram um adepto rival. Também não agrediram um árbitro num centro comercial. E não insultaram nem agrediram um (pseudo) jornalista.
Os que o fizeram (lampiões nos primeiros três casos e tripeiros no último) deveriam ir, não para a dita caixa de segurança, mas para a prisão. E não só não vão, como já está tudo esquecido. E agora, esta facciosa e acéfala comunicação social trata as pessoas como estúpidas, pretendendo fazer-lhes crer que umas cadeiras queimadas, que ninguém quis apagar para se poder, com as imagens, provocar uma onda de indignação, são mais graves que tudo o resto.
Entretanto, parece que voltou a acontecer qualquer coisa no mais famoso túnel do País.
Fiquemos atentos às cenas dos próximos capítulos...
publicado por Mário Pereira às 10:32
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De tresgues a 13 de Maio de 2012 às 10:10
Parabéns pelo blog que desconhecia.
Gosto do humor sarcástico e já me ri qb com este post que escolhi ao acaso, depois de ler o "do recorte".
Boa continuação.


Comentar post

.pesquisar

 

.Contador

.Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. A culpa é dos pilotos. E ...

. Há poucos médicos. Porque...

. Vão trabalhar, malandros!

. Apetecia-me atirar o Maga...

. Nasci refugiado

. A triste natureza humana

. Estamos entregues às mafi...

. Aprender ou não a lição, ...

. Cristiano, Bento e Jardim...

. (Des)humanidades...

.arquivos

. Maio 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds