Sábado, 15 de Setembro de 2012

Objectivo da troika: empobrecer o país

Ao contrário do que muita gente diz, a troika e o FMI - que tem feito coisas destas por todo o mundo - normalmente atingem os seus objectivos. 

A questão é que esses objectivos - obrigar os países devedores a pagarem as suas dívidas... com juros bem altos - passam obrigatoriamente por baixar o nível de vida das pessoas

E porque é que eles querem que as pessoas ganhem menos? Simples, porque assim reduz-se o consumo e sobra mais dinheiro para se pagar aos credores. É mais fácil e, principalmente, mais rápido do que as alternativas, que são duas: prolongar a dívida no tempo, diminuindo assim as prestações, ou aumentar a produção do país, de forma que este consiga pagar mais depressa. 

Na perspectiva da troika, esta redução dos salários impõe-se sobretudo na Função Pública, uma vez que são as despesas do Estado que se querem reduzir.

Mas relativamente ao sector privado, claro, também dá jeito. Como a qualidade média dos gestores das nossas empresas deixa muito a desejar, a única forma de aumentar a competitividade destas é reduzir os custos de produção. Ora, como os impostos e a energia são sagrados - ou melhor, podem ser mexidos... desde que para cima -, resta actuar sobre o lado mais fraco, os desgraçados dos trabalhadores. 

Para a troika, portanto, tudo está no bom caminho. 

Resta saber se, para o povo português, estas manifestações de hoje foram um acto isolado ou apenas o início do acordar de um longo torpor.

Porque uma coisa é certa: se o povo continuar a ser mole, o governo, guarda avançada da troika e dos grandes poderes económicos, vai continuar a carregar...

Se a era do consumismo, do oásis, da democracia de sucesso medida pelo número de electrodomésticos de cada um, do triunfo do individualismo medido pelo tamanho da casa, do modelo do carro, do exotismo do sítio em que cada um passou as suas férias, tudo pago com recurso a créditos ilimitados impingidos pelos bancos, se tudo isso acabou, não resta às pessoas outra possibilidade que não seja deixarem de se comportar como indivíduos, cada qual para si, e unirem-se em defesa das poucas conquistas que ainda não perderam e da recuperação das muitas que já lá vão. 

Foi isso que hoje se viu nas muitas manifestações que ocorreram pelo país fora, com gente de todos os sectores da nossa sociedade. Gente do público e do privado, gente activa, desempregada e reformada, gente com salários em dia e em atraso, gente com salários altos e baixos, gente com licenciaturas e sem elas, gente de esquerda e de direita... 

A nossa paciência chegou ao fim. A credibilidade deste governo acabou de vez. Agora, outras manifestações terão que acontecer. Provavelmente, terão também que ser convocadas algumas greves.

As principais conquistas da humanidade não se fizeram sem luta. O próprio 1.º de Maio, este ano estranhamente comemorado, entre nós, num misto de frebre consumista e de corrida desesperada aos alimentos, teve origem - é bom que não o esqueçamos - numa luta dos trabalhadores por melhores condições laborais. Essa luta foi duramente reprimida, por parte da polícia e dos patrões, e teve como consequência um elevado número de vítimas.

O sacrifício dessas vítimas não foi, felizmente, em vão.

Esperemos que desta vez não seja necessário ir tão longe.

publicado por Mário Pereira às 20:56
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Contador

.Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. A culpa é dos pilotos. E ...

. Há poucos médicos. Porque...

. Vão trabalhar, malandros!

. Apetecia-me atirar o Maga...

. Nasci refugiado

. A triste natureza humana

. Estamos entregues às mafi...

. Aprender ou não a lição, ...

. Cristiano, Bento e Jardim...

. (Des)humanidades...

.arquivos

. Maio 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds